sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Anápolis: Questão do Terminal Urbano II está perto do fim

Um dos as sun tos mais es pi nho sos e ge ra do res de po lê mi ca so bre o se tor de tran spor te co le­ti vo em Aná po lis pa re ce es tar sen do en ca mi­nha do pa ra uma so lu ção de fi ni ti va. No dia 13 de se tem bro, o Su pe ri or Tri bu nal de Jus ti ça (STJ) irá jul gar re cur so de agra vo de ins tru­men to im pe tra do pe la em pre sa Tran spor te Co­le ti vo de Aná po lis (TCA). O mo ti vo é a lo ca li­za ção do Ter mi nal Ur ba no si tu a do ao la do da Pra ça do Avi ão, tam bém co nhe ci do co mo Ter­mi nal II.

O as sun to vem sen do al vo de de ci sões por par­te do Po der Ju di ci á rio des de 2006. Em um pri­mei ro jul ga men to, re a li za do em se de de ação ci vil pú bli ca, o ju iz Se bas ti ão Jo sé de As sis Ne­to pro fe riu, há dois anos, de ci são con trá ria à da con ces sio ná ria do ser vi ço re la ti vo a tran­spor te co le ti vo em Aná po lis. A sen ten ça foi con va li da da pe lo Tri bu nal de Jus ti ça (TJ). Nos ter mos da de ci são, a TCA te ria pra zo de dois anos pa ra re ti rar as ins ta la ções do Ter mi nal II de sua atu al lo ca li za ção.

A em pre sa en trou com re cur so de agra vo de ins tru men to, que atu al men te aguar da de ci são na cor te na ci o nal su pre ma pa ra as sun tos in fra­cons ti tu ci o nais, ou se ja, que não tra tam de ma té ria es tri ta men te cons ti tu ci o nal, cu ja com pe tên cia ori gi ná ria per ten ce ao Su pe ri or Tri bu nal Fe de ral (STF), a mais al ta cor te do or de na men to ju rí di co bra si lei ro.

Des de que en trou pa ra a pau ta de dis cus sões en tre re pre sen tan tes dos se to res in te res sa dos, o te ma tem en vol vi do to da a so ci e da de ana po­li na. En tre os usu á rios do sis te ma de tran spor­te co le ti vo do mu ni cí pio, há di vi são de opi ni­ões. Al guns acre di tam que a per ma nên cia das ins ta la ções on de es tão fa ci li tam o flu xo, uma vez que se ria mais fá cil o des lo ca men to pri­mei ra men te pa ra o Cen tro da ci da de e de pois pa ra sub-es ta ções ali men ta do ras nos bair ros.

Quem de fen de a sa í da do Ter mi nal II da Área Cen tral afir ma que o mo de lo atu al já não cor­res pon de nem à con fi gu ra ção do ter ri tó rio fí si­co da ci da de que exis te ho je, com uma man­cha ur ba na ain da em fa se de ex pan são, nem às no vas res tri ções que a ma lha vi á ria da ci da de apre sen ta pa ra um trân si to mais flui do. Há aque les que cul pam o ex ces so de ve í cu los gran des e pe sa dos, co mo os ôni bus, pe la len ti­dão no trân si to. A so lu ção apre sen ta da por es­sa cor ren te de opi ni ão é aque la de uma re de de su bes ta ções com li ga ção di re ta nos pon tos de mai or flu xo de pes so as, do ti po in ter bair­ros, com um ter mi nal ur ba no pa ra cen tra li zar o flu xo de ve í cu los mais afas ta do da Área Cen­tral.

De acor do com o ge ren te de Lo gís ti ca da TCA, Da ni el Car va lho, a mu dan ça do Ter mi nal II da Área Cen tral re pre sen ta ria um re vés em ter­mos de ci da da nia. "A exis tên cia do Ter mi nal no Cen tro ga ran te um aces so mui to mais fa ci li ta­do das pes so as, não im por ta em que bair ro mo ram, ao Cen tro", sa li en ta. Ele acres cen ta que, con tra ri a men te a ci da des que já co nhe­ce ram pro ces so de de sen vol vi men to de au to­su fi ci ên cia, o Cen tro de Aná po lis ain da é a prin ci pal área de con ta to en tre o co mér cio lo­cal e o mer ca do de con su mo.

Se gun do o eco no mis ta Ál va ro Vaz, em ci da des com es se ti po de con fi gu ra ção qual quer au­men to dos cus tos de tran spor te sig ni fi ca ria um re vés pa ra a ci da da nia. "O aces so fa ci li ta do ao Cen tro de Aná po lis por aque les que não pos su­em au to mó vel é o que ga ran te não só o di rei to ao con su mo quan to um gran de nú me ro de co­mer cian tes que atuam nes se se tor que cha ma­mos de ter ci á rio in fe ri or, que aten de ao con­su mo de gru pos com me nor fai xa de ren da", ana li sa.

Mas a po lê mi ca não pa ra por aí. Gran de par te dos de fen so res da re ti ra da do Ter mi nal II das pro xi mi da des da Pra ça do Avi ão afir ma que sua exis tên cia im pe de uma mai or va lo ri za ção de um dos mais im por tan tes pré di os his tó ri cos da ci da de, o da Es ta ção de Trem, eri gi da du ran te a dé ca da de 1930 e con si de ra da mar co de um pe rí o do na his tó ria do mu ni cí pio cha ma do de Pri mei ra Era Lo gís ti ca. A po si ção ofi ci al da TCA é de que o pré dio, on de es tá, é vis to por uma quan ti da de di á ria de pes so as que va ria en tre os 11 mil e os 14 mil e que de ou tra for ma ele di fi cil men te se ria vis to por um vo lu me tão gran de de pes so as.

Os crí ti cos des sa po si ção, por ou tro la do, afir­mam que o pré dio da Es ta ção de Trem não vem cum prin do su as fun ções, ou os atri bu tos que po de ri am ser-lhe con fe ri dos ca so in te gras­se um es pa ço es pe ci al men te de di ca do a ati vi­da des cul tu ra is. A idéia ga nha cor po en tre pro­mo to res cul tu ra is, ar qui te tos e de fen so res do pa tri mô nio his tó ri co, exis tin do até mes mo pro­je tos pa ra que to da a área se ja trans for ma da em um com ple xo des ti na do a abri gar ca fés, bi­bli o te cas se to ri ais, um an fi te a tro e até mes mo um cen tro de ar qui vos pú bli cos de ca rá ter his­tó ri co, fun ção pa ra a qual o pré dio da Es ta ção te ria ins ta la ções con si de ra das ide ais.

O pro ces so que de ve ter sua de ci são fi nal pro­fe ri da no dia 13 de se tem bro cor re em se gre do de jus ti ça, mas fon tes con sul ta das pe la re por­ta gem da Tri bu na de Aná po lis que pre fe ri ram não se iden ti fi car in for mam que a ten dên cia é pa ra a ma nu ten ção das de ci sões pro fe ri das tan to pe la cor te com se de em Aná po lis quan to pe lo TJ go i a no.

Fonte: Tribuna de Anápolis(http://www.tribunadeanapolis.com.br/component/content/article/25-cidade/1633-questao-do-terminal-esta-perto-do-fim)
Postado por Rafael Martins às 18:47
ans

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Em Goiânia, Medidas vão beneficiar usuários do Eixo Anhanguera, Metrobus terá ônibus novos articulados e biarticulados

09/08/2011 - Jornal Imprensa



O governo do Estado, por meio da  Metrobus Tansporte Coletivo S/A, atende às antigas reivindicações dos usuários do Eixo Anhanguera com  a compra de novos ônibus e anúncio de diversas melhorias. O presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, explica que os investimentos ultrapassam os R$ 90 milhões  e fazem parte dos compromissos firmados pelo governador do Estado, Marconi Perillo. “Assim nós vamos oferecer mais conforto, diminuir a superlotação, evitar o tumulto gerado no embarque  e desembarque nos terminais e plataformas do Eixo”, explica o presidente.   

Já no próximo dia 27 de agosto serão entregues à população 25 novos veículos, 20 articulados com capacidade para 170 pessoas cada, e cinco biarticulados com capacidade para 270 passageiros cada. Até o mês de novembro deste ano toda a nova frota ultramoderna, 90 veículos no total (30 biarticulados e 60 articulados),   estará à disposição dos 240 mil passageiros/dia do Eixo. O presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, afirma que apesar da frota diminuir (atualmente são 104 ônibus) a capacidade será ampliada em 20%.   “Todos os ônibus serão substituídos. É uma frota antiga, com média de 13 anos de uso. Cada novo ônibus, articulado e biarticulado,  comporta 100 passageiros a mais do que os antigos similares. Estamos  dando assim um importante passo para a nova prioridade da Metrobus, que é o cidadão, o nosso cliente”, completa.

No último dia 1º, Carlos Maranhão apresentou o modelo do ônibus que vai circular no Eixo. O Mega-BRT(sigla inglesa para Ônibus de Transporte Rápido) da marca Volvo, modelo 2011/2012,  montado pelo consórcio Suécia/San Marino. A nova frota tem motor e suspensão eletrônicos, computador de bordo, monitor de TV e sistema eletrônico de segurança que não permite o deslocamento do veículo de porta aberta.   No interior  dos veículos haverá painéis eletrônicos que identificam qual a próxima parada a ser realizada pelo ônibus e equipamentos de áudio com a mesma função.O ônibus ainda será monitorado por câmeras. “Além de ultramodernos, são os maiores ônibus de passageiro do Brasil e do mundo”, explica Maranhão.

A nova pintura dos novos ônibus será azul, baseada nas cores da estatal. O novo modelo de pintura foi escolhido em consulta popular, em pesquisa realizada nos cinco terminais pela Epom- Pesquisa e Mercado, nos dias 28 e 29 de julho. Foram consultadas 22.640 pessoas. A opção escolhida obteve 39,8% dos votos.    
 
Melhorias
 
O presidente ainda anunciou que os passageiros serão beneficiados com a reforma de terminais e da pista por onde os ônibus trafegam. As obras começam em setembro,. “As licitações  já estão sendo elaboradas, mas como elas demoram em torno de 30 dias para ficarem prontas, as obras devem começar no mês de setembro. Até dezembro, os usuários do transporte coletivo já terão as melhorias”, confirma. O terminal da Praça da Bíblia será o primeiro a ser   reformado, sendo ampliado em 80 metros. O próximo será o terminal Padre Pelágio que deve ser concluído no começo de 2012.

O próximo passo será a reforma da pista do eixo. Maranhão afirma que esse é um dos grandes problemas enfrentados pela empresa e explica, que além de sofrer recapeamento, o corredor do eixo será ampliado para a circulação dos veículos que farão a linha expressa, parando apenas nos terminais. “Isso vai permitir  que os ônibus  façam ultrapassagem e sigam roteiros específicos, que serão chamados de linha expressa”, informa. O presidente da Metrobus explica ainda que um dos grandes problemas que o eixo enfrenta hoje é a baixa velocidade dos veículos que formam comboios atrasando as viagens. “Então vamos fazer uma linha direta para as pessoas que vão de um terminal para o outro e fazer integração  a outras linhas de ônibus”, completa. Para reformar a pista e abrir locais de ultrapassagem, Maranhão explica que parte da avenida, destinada aos carros comuns, será invadida. O presidente ressalta que os motoristas não serão prejudicados pois os locais escolhidos não deverão ter estacionamento.

Expansão

Carlos Maranhão ainda anunciou a expansão do Eixo Anhanguera no sentido noroeste e oeste da Capital até junho de 2012. Para a expansão oeste um terminal deverá ser construído no Setor Vera Cruz onde a linha deve chegar para abranger a cidade de Trindade.   Depois que a expansão oeste for concluída a linha será estendida sentido noroeste até a Vila Mutirão, para abranger a cidade de Goianira. Em 2013, de acordo com o presidente, a linha também será expandida sentido leste abrangendo a cidade de Senador Canedo, indo até o Jardim das Oliveiras.

O presidente da Metrobus afirma que os motoristas estão passando por novos treinamentos e os 60 fiscais de transporte que trabalham nas plataformas e nos terminais do Eixo Anhanguera estão sendo preparados. “Essas medidas também fazem parte do trabalho de viabilização das melhorias implantadas no Eixo Anhanguera que têm como eixo principal, como prioridade, a melhoria na qualidade do atendimento aos nossos clientes”, ressalta Carlos Maranhão.  

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Obras nos Terminais Pça. da Bíblia e Padre Pelágio podem começar este ano

02/08/2011 - Portal 730

Após várias reinvindicações e protestos nos últimos meses, os usuários do Eixo-Anhanguera finalmente vão receber melhorias para o uso dos terminais e do transporte coletivo, segundo uma afirmação do Presidente da Metrobus, Carlos Maranhão para o repórter Rubens Salomão.

A empresa apresentou um dos 90 novos ônibus comprados para substituir a atual frota, composta por 113 veículos. De acordo com Carlos Maranhão, apenas 87 destes 113 rodam na Avenida Anhanguera, e a grande foi adquirida a mais de 13 anos.

“A primeira diferença fundamental é que os ônibus velhos têm uma idade muita avançada, os anteriores tinham uma capacidade de 220 passageiros e estes novos terão uma capacidade de 270. Estamos aumentando em mais de 25% a capacidade do sistema para atender os 240 mi passageiros do Eixo-Anhanguera”, declara.

Até o fim de agosto, 25 novos ônibus estarão rodando, sendo 20 articulados e cinco biarticulados. A Metrobus fez um consórcio com as empresas Suécia e San Marino, que têm até o fim de novembro para entregar todos os 90 novos ônibus.

O investimento total do Estado para a compra dos veículos foi de R$ 87 milhões. Além disso, também serão feitas reformas nos terminais e na pista do corredor exclusivo da Avenida Anhanguera.

As obras devem começar em setembro, e os primeiros terminais a serem mudados serão o da Praça da Bíblia, e o Terminal Padre Pelágio. Para isso, será necessário o investimento de mais R$ 11 milhões.

“É preciso oferecer outros tipos de serviços que não seja só o parador, primeiro para evitar que se formem comboios ao longo da avenida, segundo que boa parte das pessoas tem um destino já certo e quer ir direto para um ponto mais afastado. E para essas pessoas vamos disponibilizar os ônibus expressos, que é aquele que só vai parar nos terminais”, explica.

Fonte: Portal 730 (http://portal730.com.br/noticias/cidades/21793-obras-nos-terminais-praca-da-biblia-e-padre-pelagio-podem-comecar-este-ano.html)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Goiânia: Metrobus apresenta novo modelo de ônibus e divulga o resultado da pesquisa sobre a cor dos novos veículos

01/07/2011 - Goias Agora

O Governo de Goiás, por meio da Metrobus, adquiriu 90 ônibus articulados e biarticulados junto ao consórcio formado pelas empresas Suécia e San Martino, que vão atender a linha do Eixo-Anhanguera. A previsão do presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, é de que até o final deste mês 25 novos ônibus estejam circulando (20 articulados e cinco biarticulados). “Esses novos ônibus vão aumentar em 20% a capacidade de transporte de passageiros”, frisa Carlos Maranhão.

A frota atual da Metrobus é de 110 ônibus, que serão substituídos pela nova frota. O novo modelo de ônibus foi apresentado nesta tarde à imprensa. O consórcio tem um prazo de entrega até o mês de outubro para os 30 biarticulados e até o mês de novembro para os 60 articulados. Os contratos de compra foram assinados no dia 22 de julho.


Os usuários da linha do Eixo-Anhanguera participaram de uma enquete, realizada pelo Epom-Pesquisa de Mercado, nos dias 28 e 29 de julho, nos cinco terminais da linha para a escolha do modelo da pintura da nova frota. Foram disponibilizadas três cores para votação: azul; prata com detalhes de outras cores e azul com detalhes verde e amarelo. A maioria dos 22.640 entrevistados escolheu a cor azul, elaborada a partir das cores que representam a Metrobus S/A.

Os 90 veículos, do modelo Mega-BRT (sigla inglesa para ônibus de trânsito rápido), da marca Volvo, custaram aos cofres do Tesouro Estadual, R$ 87 milhões. “Esses veículos são os maiores articulados do Brasil e do mundo”, destaca o presidente da Metrobus. Os ônibus têm motor eletrônico, suspensão eletrônica, computador de bordo, monitor de TV e um sistema eletrônico de seguranaça que não permite o deslocamento com a porta aberta. Os articulados suportam 170 passageiros, com 45 assentos; já os biarticulados têm 270 lugares e 60 assentos, com espaço para uma cadeira de rodas.

Investimentos

O presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, anunciou que além da renovação completa da frota do Eixo-Anhanguera serão executadas obras de reforma e ampliação ao longo da via, no valor de R$ 11 milhões. O Governo do Estado em parceria com a prefeitura de Goiânia vai substituir o asfalto antigo da Avenida Anhanguera. “Vamos reformar todas as plataformas de passageiros e os terminais da Praça da Bíblia e Padre Pelágio. O da Praça da Bíblia será ampliado em 80 metros, e deve ser concluído até o final deste ano. Está prevista também a ampliação da linha no sentido oeste, até o Vera Cruz. Com a chegada dos Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) a nova frota será utilizada na extensão do Eixo Anhanguera", explica Maranhão.

Sobre a reclamação dos passageiros do Eixo-Anhanguera, relativa ao tumulto nos terminais, o presidente da Metrobus disse que “parte do problema do tumulto nos terminais se deve a existência de camelôs e à falta de organização das filas. Estamos treinando 60 antigos fiscais para resolver esses problemas”. Outra reivindicação dos usuários da linha é referente à baixa velocidade dos ônibus. “A solução é fazer linhas diretas, em locais com demanda maior. Vamos enlarguecer a pista em alguns pontos, para que seja permitida a ultrapassagem. Ela vai invadir a pista dos carros. Em alguns lugares não será permitido estacionar”, afirma Carlos Maranhão.

Fonte: Goiás Agora (http://www.noticias.goias.gov.br/index.php?idMateria=110632&tp=positivo)