domingo, 31 de julho de 2011

Metrobus apresenta modelo de ônibus da nova frota

30/07/2011 - Governo do Estado de Goias

A Metrobus apresenta na próxima segunda-feira, dia 1º, às 10h, o resultado da consulta popular sobre a escolha da pintura da nova frota de ônibus, adquirida pela estatal. O presidente, Carlos Maranhão, vai apresentar também um ônibus modelo que estará em exposição no pátio da empresa. Três modelos de pintura estão sendo apresentados: azul, prata com detalhes de outras cores, e azul com detalhes verde e amarelo.

Os 90 veículos zero Mega-BRT (sigla inglesa para ônibus de trânsito rápido) são da marca volvo modelo 2011/2011 e 2011/2012. Os ônibus terão motor eletrônico, suspensão eletrônica, computador de bordo, monitor de TV e um sistema eletrônico de segurança que não permite o deslocamento do veículo com a porta aberta. Os ônibus articulados terão capacidade para 170 passageiros, com o limite máximo de 6 passageiros por metro quadrado. O espaço interno terá 45 assentos mais espaço exclusivo para uma cadeira de rodas.

Os biarticulados terão capacidade para 270 passageiros, também com o limite máximo de 6 passageiros por metro quadrado. O espaço interno terá 60 assentos mais e espaço para uma cadeira de rodas. O ônibus-modelo que será apresentado na segunda-feira é um articulado. A Metrobus fica na Rua Patriarca, nº 299, na Vila Regina, depois do Terminal Padre Pelágio.
Mais informações: (62) 3297-4835
http://www.noticias.go.gov.br/

domingo, 24 de julho de 2011

Frota do Eixo Anhanguera começa a ser substituída em agosto

24/07/2011

Os novos ônibus serão Volvo B340M Mega BRT

A partir de agosto, começam a chegar os novos ônibus que vão substituir a frota do Eixo Anhanguera. Ao total, serão 90 veículos que irão atender a demanda dos usuários e que serão colocados de forma gradativa. “Não vamos esperar chegar todos para colocá-los nas ruas”, explica o presidente da Metrobus, Carlos Maranhão. “Vamos substituindo aos poucos porque os atuais estão velhos, com mais de 13 anos de uso, e os passageiros não podem esperar mais tempo”.

São 30 ônibus biarticulados, com capacidade para 270 passageiros cada um, e 60 articulados, com capacidade para 170 cada que, juntos, custaram quase R$ 90 milhões, recursos da Metrobus. Cada ônibus articulado custou em torno de R$ 840 mil e, o biarticulado, R$1,2 milhão cada. O valor será financiado pela Metrobus para ser pago em cinco anos, com seis meses de carência. A previsão é de que, até o final de novembro, todos os 90 estejam circulando.

A nova frota vai atender a demanda de usuários do eixão que, hoje, supera os 240 mil usuários, por dia, segundo dados da Metrobus, o que corresponde a quase 25% do número de passageiros de todo o sistema de transporte. Hoje a frota atual é composta por 84 ônibus, cada um com capacidade menor de passageiros.
A Metrobus também está fazendo melhorias na pista do Eixo Anhanguera, em parceria com a prefeitura, e a reforma dos terminais. A previsão é de que estas obras sejam concluídas até dezembro deste ano. A empresa vai ainda investir em serviço de qualidade dentro dos terminais. São ações que incluem reforço na vigilância, apoio no embarque e desembarque de passageiros, serviços de limpeza permanente e atendimento de urgência na área da saúde, para casos de acidentes.Carlos Maranhão adiantou que, na quarta-feira da próxima semana, vai lançar um concurso de pintura dos ônibus do Eixo Anhanguera. A Metrobus vai expor modelos e deixar que os usuários escolham qual o melhor.
Fonte: Goiás Agora

Foto: Mateus Novaki (Ônibus de Curitiba - PR)

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Metrobus assina contratos para compra de 90 ônibus

22/07/2011 - Folha de Noticias

O presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, assina daqui a pouco, às 8 horas, dois contratos liberando a compra de 90 novos ônibus, para o Eixo Anhanguera. A solenidade vai ser na sede da empresa, na Rua Patriarca, número 299, na Vila Regina, em Goiânia. Os contratos preveem a compra de 30 ônibus biarticulados e 60 articulados, mediante licitação realizada nos dias 14 e 15 deste mês, vencidas pelo consórcio das empresas Suécia/San Marino. A frota deve ser entregue nos próximos 120 dias. Serão investidos R$ 87 milhões, sendo R$ 36,6 milhões para a compra dos 60 ônibus articulados e R$ 50,4 milhões nos biarticulados.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Novo Eixo custará R$ 1,5 bilhão

19/07/2011 - O Hoje

Trinta e cinco anos após ter sido criado, o Eixo Anhanguera está prestes a ser submetido a sua maior e mais drástica remodelação, em seus próximos três anos. Há chances dos seus 90 ônibus serem substituídos por 72 trens, divididos em 24 composições. É o metrô de superfície, ou simplesmente VLT (veículo leve sobre trilhos). O detalhe é que o custo da substituição está estimado, pelo comando da Metrobus, em cerca de 1 bilhão de dólares (R$ 1,570 bilhão, em cotação média de julho).

O professor da PUC/GO Benjamim Jorge Rodrigues dos Santos, doutor em Engenharia de Transportes pela Universidade de São Paulo (USP), garante que a medida é boa, apesar de atrasada, e que a relação custo-benefício compensa, principalmente para o usuário, que terá um transporte “seguro, confortável, confiável e adaptado às suas necessidades individuais”. A questão protagonista, em um primeiro instante, é como viabilizar financeiramente estudos (técnico, jurídico e econômico), obras das linhas e das estações, operação e serviço de passageiros.

Considerando a féria diária em torno de R$ 300 mil, resultante da presença de aproximadamente 240 mil passageiros que utilizam os serviços ao longo dos 14 quilômetros do Eixão, o negócio levaria cerca de 14 anos para se pagar. Os especialistas advertem que o pote de ouro pode ser encontrado nas publicidades estáticas (estações) e móveis (áreas internas e externas das composições). Mas há de se realizar um arranjo institucional vantajoso à administração estatal e ao usuário (preço da passagem).

A saída, de acordo com o presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, geólogo por formação, mas gestor público há 25 anos, é a Parceria Público Privada (PPA). Os percentuais ainda não estão definidos. Especula-se que a iniciativa privada fique com 75%. Esse e outros pontos devem ficar claros até novembro, quando fica pronto o estudo funcional, que está sendo realizado pela maior administradora de VLTs no mundo, a Veolia Transdev, que fatura anualmente com os seus 60 mil veículos cerca de 8 trilhões de euros.

ESTUDOS

A conta do trabalho, que será paga pela Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) – consórcio das cinco concessionárias exploradoras do serviço de transporte coletivo em Goiânia e 18 municípios da Região Metropolitana (Rápido Araguaia, HP, Viação Reunidas, Cootego e a estatal Metrobus) –, é de R$ 20 milhões e será diluída, caso realmente o projeto seja levado à frente, no edital de licitação. Por enquanto, a RMTC opta por não comentar o mérito do assunto.

Maranhão, mesmo aguardando a chegada dos novos ônibus no final de agosto (60 articulados, com capacidade para transportar 180 usuários, e 30 biarticulados, que transportam até 270 passageiros) – encomenda que custou à estatal cerca de R$ 92 milhões –, diz-se convicto da realização do projeto. Ele explica que a escolha da tecnologia está ancorada, basicamente, no público-alvo. Bem diferente, segundo Maranhão, dos 80 mil que lotam os ônibus no Eixo Norte-Sul.

O projeto do VLT ainda pode receber cerca de R$ 220 milhões da União, por intermédio do PAC da Mobilidade. No início deste ano, a Prefeitura de Goiânia entregou projeto ao Ministério das Cidades, solicitando R$ 430 milhões, dos quais R$ 210 milhões para o corredor de 17 quilômetros que ligará o Terminal Veiga Jardim ao Terminal dos Violeiros. O restante dos recursos será repassado ao Estado, para implantação do projeto do metrô de superfície.

Fonte: O Hoje (http://www.ohoje.com.br/cidades/19-07-2011-novo-eixo-custara-r-1-5-bilhao/)

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Metrobus promete novos ônibus para agosto

Carla Borges

A Metrobus, estatal que tem a concessão do Eixo Anhanguera, vai abrir no próximo dia 14 as propostas técnicas para a compra de 90 ônibus para a renovação da frota do Eixo Anhanguera. O edital do pregão presencial foi lançado na última segunda-feira. A empresa optou por esse tipo de modalidade de licitação, explica seu presidente, Carlos Maranhão, por ser mais rápido. "Essa modalidade também tem a figura do pregoeiro, que pode negociar com os participantes, aumentando as vantagens para o Estado", diz Maranhão.

A empresa vai adquirir 90 ônibus para a renovação completa da frota, dos quais 60 são articulados, semelhantes aos atuais, com capacidade para transportar 180 passageiros, e 30 biarticulados, que levam até 270 passageiros. O gasto estimado é de R$ 92 milhões com a aquisição dos veículos. Maranhão espera que os primeiros novos ônibus entrem em circulação no Eixo Anhanguera na segunda quinzena de agosto. "Até o fim de outubro, queremos já ter renovado 100% da frota", definiu Maranhão ao POPULAR.

O presidente adiantou que a Metrobus deve abrir na segunda quinzena deste mês a licitação para a reforma dos cinco terminais do Eixo Anhanguera - Padre Pelágio, Dergo, Praça A, Praça da Bíblia e Novo Mundo. Também será um pregão presencial e a estatal deverá investir R$ 7 milhões na reforma. Os primeiros serão os que, segundo levantamento da empresa, precisam de obras com maior urgência: Padre Pelágio e Praça da Bíblia. A previsão de Carlos Maranhão é de que até dezembro deste ano eles estarão completamente reformados.

Serão ampliadas as áreas de embarque e os banheiros, além de passar por reforma, terão o número duplicado. A Metrobus investirá R$ 3 milhões na estrutura de pista do Eixo.

http://www.opopular.com.br/cmlink/o-...agosto-1.17615