quinta-feira, 13 de maio de 2010

Só corredor exclusivo resolve trânsito em eixos


13/5/2010
O Popular (GO)

Os corredores preferenciais para ônibus do transporte coletivo que estão sendo instalados nas Avenidas T-7 e T-9, em Goiânia, são apenas medidas paliativas, que devem proporcionar um alívio imediato nos problemas de congestionamento do trânsito em horários de pico, mas apenas temporário. A solução definitiva é a criação de corredores exclusivos - onde os veículos de passeio não podem trafegar, salvo em casos especiais, sob pena de multa. Essa é a opinião de especialistas em trânsito e transportes ouvidos pelo POPULAR.

Até o titular da Agência Municipal de Trânsito (AMT), Miguel Tiago, aponta a instalação de corredores exclusivos para ônibus como o ideal para os principais eixos de Goiânia, não apenas a T-7 e a T-9, mas também as Avenidas 85 e T-63. "Esta é a proposta que poderia resolver, mas isso depende de grandes investimentos, portanto, é um projeto de médio a longo prazo", diz Tiago. "Neste momento, o que temos a fazer é trabalhar com as armas que estão ao nosso alcance", acrescenta.

As ferramentas a que se refere o presidente da AMT são a proibição do estacionamento de veículos ao longo desses eixos, proibição de conversões à esquerda e eliminação de semáforos de três tempos. "Estamos trabalhando no desentupimento da artéria, mas precisamos avançar", reconhece Miguel Tiago.

Ele disse não dispor de cálculos sobre os custos de instalação de corredores exclusivos, alegando que sua implantação cabe à Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Já opresidente da CMTC, Marcos Massad, em entrevista ao Face a Face - espaço interativo do POPULAR em que os leitores fazem perguntas pela rede Facebook -, no último dia 1º de maio, calculou que cada quilômetro de corredor exclusivo custa em torno de R$ 2 milhões.

O prefeito Paulo Garcia e o governador Alcides Rodrigues devem anunciar na terça-feira um pacote de medidas para melhorar o transporte, que se compõe, basicamente, de intervenções no trânsito.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Usuários do Eixo Anhanguera recebem o maior e mais moderno ônibus do mundo



28/09/2005 - Metrobus

O projeto de melhoria do acesso das populações de baixa renda ao transporte coletivo está sendo concretizado em Goiânia. Depois de reduzir em dois terços o valor da passagem no principal corredor de transporte urbano de passageiros da capital, começam a circular, nos 14 quilômetros do Eixo Anhanguera, os cinco ônibus biarticulados adquiridos pelo governo de Goiás, através da empresa de transporte coletivo Metrobus.
         
Com aparelhos de ar condicionados instalados sob encomenda do governador Marconi Perillo os veículos são os mais modernos em termos de tecnologia existentes hoje em todo o mundo. Os novos ônibus têm 28 metros de comprimento, os maiores veículos sobre rodas para o transporte público de passageiros utilizado nas grandes cidades. Com design futurista o modelo tem duas articulações, motor central e cabine do motorista também no centro do veículo.
         
Todos foram devidamente adaptados para a estrutura física dos terminais e estações de embarque e desembarque do Eixo. As quatro portas, localizadas no lado esquerdo do veículo posicionam-se a 90 centímetros de altura no mesmo nível das plataformas.

                                    
            Com bancos estofados, os ônibus foram projetados para garantir o maior conforto possível dos passageiros. O número de assentos também foi aumentado para permitir o transporte de mais passageiros sentados. A altura dos corrimões está adaptada à estatura média do brasileiro, além de possuírem alças flexíveis que favorecem o apoio e o deslocamento das pessoas dentro do veículo.

                     Todos os Biarticulados possuem ar condicionado             Poltronas estofadas
Atendendo à solicitação da Metrobus os fabricantes incluíram espaços destinados aos usuários cadeirantes com cintos de segurança para fixar as cadeiras de rodas. Assim como em toda a frota de veículos da Metrobus os biarticulados têm piso taraflex antiderrapante.
A compra de ônibus biarticulados foi apoiada em criteriosos estudos técnicos que apontaram vantagens dos pontos de vista econômico-financeiro, operacionais e ambientais. Mesmo exigindo investimentos maiores, o custo por passageiro transportado é menor que nos ônibus convencionais e articulados, por transportar mais pessoas por viagem. Ao todo é possível transportar quase 300 usuários ao mesmo tempo. Isso significa também menos veículos nas ruas e, conseqüentemente, menos emissão de poluentes.

Novos ônibus biarticulados Volvo contam com transmissão automática


2/10/2005

Tecnologia

30/9/2005 - Os novos ônibus biarticulados Volvo B12M recém-adquiridos pela empresa de transporte coletivo Metrobus, de Goiás, são equipados com transmissão automática de seis marchas Ecomat 2Plus (foto), produzida pelo Grupo ZF na América do Sul, em Sorocaba (SP).

Os veículos irão circular nos 14 quilômetros do Eixo Anhanguera, principal linha do transporte coletivo de Goiânia.
Diferenciais - De acordo com a fabricante, a transmissão com seis marchas possibilita a redução do consumo de combustível devido ao regime de operação do motor em rotações menores e reduz significativamente os custos operacionais. Para os motoristas, o benefício do uso da transmissão automática fica por conta da redução do desgaste físico causado pelas trocas de marchas.

Com design futurista, os ônibus biarticulados Volvo B12M têm cerca de 27 metros de comprimento, cabine do motorista centralizada e motorização eletrônica. O software da transmissão comunica-se eletronicamente com o motor para realizar as trocas de marchas no momento ideal, considerando rotação, velocidade do veículo e topografia da região. Oferece ainda seis opções de programas de troca de marchas, de acordo com o trajeto a ser percorrido.

A transmissão ZF Ecomat possui também sistema retardador hidrodinâmico integrado, que auxilia na frenagem por meio da redução da velocidade do veículo hidraulicamente, sem a utilização do sistema de freios. Dessa forma, a transmissão prolonga a vida útil dos freios e pneus, diminuindo também a fuligem produzida durante as frenagens.

Outro destaque da transmissão automática ZF Ecomat é a embreagem de “lock-up” integrada ao conversor de torque. Esse tipo de embreagem interna faz um acoplamento entre a transmissão e o motor em determinadas condições. Isso diminui a perda de energia no sistema e contribui para uma melhora no consumo de combustível. Os ônibus biarticulados Volvo B12M também são equipados com mecanismo de direção produzido pela ZF Sistemas de Direção e barras de direção, de ligação e de reação fornecidas pela divisão ZF Lemförder.
 
 
Por Canal do Transporte