domingo, 1 de julho de 2012

Insatisfação mesmo com corredor exclusivo

30/06/2012 - O  Hoje

Desde o lançamento do Corredor Universitário – situado entre a Praça Cívica e o Terminal de Integração Praça da Bíblia – na quarta-feira (27), quem passa pelos 2,5 quilômetros de corredor está convivendo com mudanças. A reportagem esteve ontem no local e constatou que, apesar de as multas ainda não estarem sendo aplicadas, a maioria dos motoristas já respeita a faixa exclusiva para ônibus e a ciclovia – embora os pedestres a desreipeite. No entanto, usuários do transporte coletivo ainda reclamam da demora dos ônibus e nem todos os pontos estão prontos.

Em um dos novos pontos na Avenida, Raimunda Xavier Nascimento aguardava com a filha Rosangela, que possui deficiência física, um ônibus da linha 180. Na parede do abrigo constam os horários e a previsão de que essa linha deve passar a cada 45 minutos. Segundo Raimunda, elas estavam no local há mais de uma hora. “Aqui ficou muito chique, muito bonito. Mas os ônibus continuam demorando tempo demais”, afirma. O agrimensor Carlos Jarbas também aguardava no ponto e sua reclamação era outra. “Esse abrigo é um dos poucos já instalados. Que ficou melhor não há dúvidas, mas eu me pergunto como a obra foi inaugurada se não está tudo pronto.”

Arquiteta e urbanista da assessoria de planejamento da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC), Edinei Bernardes de Paiva, garante que os pontos de ônibus completos deverão ser instalados em, no máximo, 15 dias. Segundo ela, as linhas de ônibus já voltaram a circular normalmente pela avenida e procuram seguir a planilha. “Faltam ainda algumas placas de sinalização que devem ser instaladas assim que a obra da Praça Universitária for concluída.”

Sinalização

O motorista Pedro Alcântara respeitava a faixa do ônibus quando conversou com a reportagem na tarde de ontem. Segundo ele tem observado, a maioria das pessoas está respeitando a sinalização. “O trânsito está fluindo bem e a avenida ficou linda. Mas de vez em quando vemos alguns insistindo em desrespeitar a faixa exclusiva”, conta Pedro.

A reportagem flagrou alguns motoristas que iam seguir em frente parados na faixa preferencial. Eles só deveriam acessar a pista para conversão à direita imediatamente seguinte ou parada em garagem. Em outro caso, um carro parou no retorno em cima da faixa da ciclovia e um ciclista teve que sair da pista para desviar e depois retornar para a faixa.

Mesmo assim, o garçom Geraldo Siqueira não reclama. “Sem a ciclovia a gente tinha que se arriscar no meio dos carros. Aqui é ótimo e tem muita sinalização. Quem não respeita é porque não quer”, afirma. Câmeras e sensores foram instalados pela Agência Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (AMT) ao longo do trajeto para monitorar o uso da faixa preferencial no corredor dedicado ao transporte coletivo. Porém, a fiscalização eletrônica deve demorar pelo menos 30 dias para começar a multar já que essa primeira fase é educativa.

A arquiteta Edinei Bernardes se diz satisfeita com a atitude das pessoas nesses primeiros dias. “Notamos que as pessoas estão compreendendo e muitas estão fazendo uso correto mesmo sem fiscalização. Esse corredor exclusivo é uma coisa totalmente inovadora para Goiânia e, com essa atitude positiva das pessoas, nos sentimos mais seguros para a implantação dos outros”, comenta. Outros 13 corredores, em 102 quilômetros de vias em Goiânia devem receber corredores exclusivos ao transporte coletivo.

Eixo T-7 vai ser próximo corredor

28/06/2012 - O Hoje

Uma caminhada simbólica na noite de ontem marcou a inauguração do corredor preferencial para o transporte coletivo que liga a Praça Cívica ao Terminal da Praça da Bíblia, em Goiânia. O Eixo Universitário possui 2,5 km de extensão e seria o primeiro de 14 corredores que serão implementados na cidade, de acordo com o prefeito Paulo Garcia (PT). A ciclovia que percorre o canteiro central da Avenida Universitária também mereceu destaque, pois se trata de uma reivindicação antiga da população.

Uma bênção católica antecedeu o descerramento da placa, que marcou o início da caminhada. Acompanhado de vereadores, deputados aliados e representantes do movimento de ciclistas da capital, Paulo Garcia percorreu um pequeno trecho da ciclovia, rodeado de assessores. Ao final, um palanque inesperado por ele e por sua assessoria estava montado, o obrigando a subir e discursar de improviso aos presentes. Reitores das universidades Federal e Católica, parceiros na construção da ciclovia, também estiveram presentes na inauguração.

“Inauguramos hoje a primeira ciclovia definitiva de Goiânia, além de uma obra que contempla desde o elo mais fraco da cadeia, que são os pedestres, até o mais representativo, por meio do corredor preferencial destinado ao transporte público”, pontuou o prefeito. Perguntado sobre o motivo de inaugurar a obra mesmo que ainda houvesse alguns trechos inacabados, ele respondeu que não deixaria de falar de “uma obra tão bonita” por causa disso.

Durante toda a tarde de ontem, funcionários da Prefeitura trabalharam diante de todo o eixo universitário para realizar os últimos detalhes da obra. Canteiros e, principalmente, partes da Praça Universitária foram finalizados às pressas no período. Os abrigos dos pontos de ônibus ainda estavam em falta.

Bandeiras

Durante seu pronunciamento, Paulo Garcia anunciou que o próximo trecho a receber um corredor preferencial será o que liga o Terminal das Bandeiras, no Jardim Europa, até o Terminal da Praça da Bíblia, no Setor Universitário, se interligando ao corredor inaugurado ontem por meio do Eixo T-7. “Esta obra será iniciada imediatamente após o término do Eixo Universitário”, declarou. Com o eixo, a região sudoeste de Goiânia ficará interligada com a central, passando pelo Setor Oeste.

Ao longo da Avenida Universitária foi implantado um novo sistema de fiscalização eletrônica que pretende limitar a velocidade em todas as faixas e também forçar a obediência à sinalização semafórica, já que houve a implantação de três semáforos. Câmeras na via e imediações irão auxiliar no monitoramento em tempo real. Como noticiado ontem, os veículos que permanecerem por mais de uma quadra na faixa preferencial para os ônibus serão multados em 67 reais. As autuações devem iniciar 30 dias após a implementação total do corredor.

Obras

Além do corredor da Avenida T-7, estão previstas as construções de outros corredores nas Avenidas 85 e Independência, além de outros que procedem das regiões do Centro expandido, noroeste, leste, sul e sudoeste.

De acordo com dados da Prefeitura, a média de fluxo ao longo da Avenida Universitária é de 50 mil pessoas diariamente. As três faixas do corredor somam nove metros de largura, sendo 3,2 da faixa preferencial e 2,6 para as vias de tráfego normal. A ciclovia possui uma largura de 2,6 metros.

Ao todo, nove linhas de ônibus trafegam em todo o trecho do corredor: 019, 027, 164, 167, 257, 400, 401, 905 e 917; outras quatro cortam a avenida: 900, 302, 901 e 302; mais 12 circulam apenas por parte dela: 266, 913, 914, 020, 021, 028, 170, 906, 907, 908, 909 e 180.

Diretor geral da RMTC diz que Corredor Universitário é uma das obras mais importantes nos últimos tempos

27/06/2012 - RMTC

Nesta quarta-feira, às 19h, será realizada a entrega de parte das obras do Corredor Universitário. O Corredor Universitário compreende uma distância de 2,5km que ligam a Praça Cívica à Praça da Bíblia. O projeto do corredor Bus Rapid Service (BRS) tem como principais objetivos a redução no tempo de viagem dos passageiros; aumento da velocidade operacional dos veículos do transporte coletivo; melhoraria da regularidade da operação; melhoria da oferta de viagens; consolidação da hierarquia das vias e melhora da identidade do eixo de transporte coletivo.

O projeto do corredor atende a todos os modais, já que confere melhorias para quem anda a pé, para quem se locomove de ônibus, para ciclistas e para as pessoas dos veículos individuais.Passam pelo corredor 20 linhas convencionais (019, 020, 021, 027, 028, 164, 167, 170, 180, 257, 266, 283, 302, 580, 582, 615 e 739) e 10 linhas do CityBus (900, 901, 905, 906, 907, 908, 909, 914 e 917).

Para o diretor geral do Consórcio Rmtc, Leomar Avelino, o Corredor Universitário é uma das obras mais importantes nos últimos tempos para a Região Metropolitana de Goiânia, pois naquele local passam diariamente pessoas de diversas cidades do estado de Goiás e não só da capital. “O Corredor Universitário é um novo tipo de fazer obra pública, pois ele vai além de um corredor preferencial de ônibus, ele representa a integração entre diversos modais de transporte: a pé, bicicleta, veículo e ônibus. Ele é um exemplo de urbanismo, paisagismo e de acessibilidade. Alguém pode até critica-lo, mas importante é que o Prefeito teve a coragem e persistência em fazê-lo. Agora temos um corredor piloto, um excelente referencial prático. O cenário é otimista, pois acreditamos que em breve teremos outros BRS / Corredores sendo implantados na grande Goiânia ” enfatiza Leomar Avelino.

Infraestrutura

As alterações realizadas nas estruturas viárias da Rua 10, Avenida Universitária e Rua compreendem as duas pistas, separadas por ilha com ciclovia e quiosques comerciais. Cada uma das pistas tem duas faixas destinadas ao tráfego geral e uma preferencial para veículos do transporte coletivo. Todas as faixas receberam repavimentação e sinalização.

Para facilitar o acesso de portadores de necessidades especiais as novas calçadas receberam guias rebaixadas. Foram construídos novos pontos de embarque e desembarque, com tabela de frequência, itinerários das linhas, mapa do corredor e identificação dos pontos. A faixa próxima aos pontos de embarque e desembarque teve o asfalto substituído por pavimento de concreto. Alguns semáforos tiveram fases eliminadas e todos receberam uma reprogramação, para culminar na otimização semafórica. Retornos e canteiros foram fechados para que uma maior fluidez dos veículos seja realizada.

Fiscalização eletrônica

A faixa exclusiva para transporte coletivo contempla um sistema de fiscalização por meio da captação de imagens e processamento de informações, que permitirão o monitoramento de veículos que trafegam pelo corredor. Veículos de transporte individual podem utilizar a faixa destinada para veículos do transporte coletivo apenas para realizarem conversões à direita.

Velocidade

Antes da implantação do corredor, os veículos de transporte individual alcançavam a média de 8,6 km/h enquanto os veículos de transporte coletivo seguiam com 12,3 km/h. Com o corredor funcionando com plena capacidade, espera-se uma melhora que gira em torno de 64% para o tráfego em geral e no mínimo 30% para o transporte coletivo. Esta melhora visa comprovar os benefícios da implantação do Corredor Universitário no aspecto do tráfego, redução no atraso de ônibus e veículos particulares. Essas ações culminam no aumento da velocidade e promoção do aumento da fluidez dos veículos para usuários deste corredor.

Novos corredores

A prefeitura de Goiânia pretende implantar 102 quilômetros de Corredores preferencias para as pessoas que viajam de ônibus. O Futuro é otimista.

Fonte: RMTC Goiânia (http://www.rmtcgoiania.com.br/blog/2012/06/27/inauguracao-do-corredor-universitario-transporte-coletivo-e-priorizado/)