quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Goiânia: Corredor Universitário reduz stress de motoristas

08/01/2013 - RMTC

O Corredor Universitário otimizou o serviço de transporte coletivo e melhorou o fluxo de veículos no trecho. A melhoria já é realidade para motoristas e passageiros que passam pelo local diariamente. É fato que o trânsito no local melhorou.Mas e para o motorista de ônibus? O que mudou para ele e como ele se sente durante o trabalho? É o que vamos descobrir. Entrevistamos profissionais responsáveis por algumas linhas que circulam pelo trecho e eles constatam: stress reduziu para zero. Há 15 anos no transporte coletivo, Helton Hortalino viveu o antes-obra e afirma que voltar estressado para casa era rotina diária. "Antes eu precisava ficar trocando de faixa todo tempo para conseguir andar e tinha que tomar cuidado porque do nada poderia aparecer um carro e acabar colidindo", conta.

No horário de pico a situação era ainda pior. Segundo Helton, o pior trecho da Rua 10 era no viaduto da Marginal Botafogo. "Passar sobre a Marginal era um sufoco. No horário de pico não andava. Os carros se amontoavam no viaduto, ocupando todas as faixas da pista e os ônibus simplesmente não passavam, era um caos total". Ele ainda enfatiza que "passar pelo Corredor Universitário é uma maravilha. É rápido, é tranquilo, os passageiros também percebem isso e eu sempre volto para casa tranquilo, o que antes não seria possível".

Motorista relata melhoria no trabalho "Ótimo mesmo, melhorou bastante" é a opinião de Aparecido Evangelista, 42 anos, há 15 no transporte coletivo. De segunda a sexta, ele fica responsável pela linha 027 (T. Bandeiras / T. da Bíblia – Via T – 70) e aos sábados a 028 (T. Bandeiras / T. da Bíblia – Via T – 9) e com propriedade, fala sobre a mudança. "Eu acredito muito no transporte coletivo. Com o Corredor Universitário, meu trabalho ficou 100%, eu fico mais feliz de trabalhar no transporte coletivo" conclui Aparecido.

Fica claro que se trata de uma corrente, ou seja, com a melhora das vias (como visto no Corredor Universitário), os ônibus circulam com preferência, a velocidade média aumenta, os passageiros chegam mais rápido ao seu destino e, assim, o ônibus se torna a melhor opção de transporte, reduzindo a quantidade de carros nas ruas, contribuindo para a mobilidade urbana e uma cidade mais sustentável. Além disso, os motoristas trabalham com melhor qualidade.

Fonte: RMTC Goiânia

Governo de Goiás entrega licença para implantar o BRT

16/01/2013 - Hoje em Dia

Na primeira reunião após voltar de viagem de férias nos Estados Unidos e México, ontem, o governador Marconi Perillo (PSDB) recebeu o prefeito Paulo Garcia e os secretários de Meio Ambiente, Leonardo Vilela (PSDB), e da região Metropolitana, Sílvio Souza, para entregar ao prefeito a licença ambiental que permite à Prefeitura dar início à licitação do projeto do Bus Rapid Transit (BRT), o chamado Veículo Rápido Sobre Rodas, que será instalado no Eixo Norte-Sul da capital.


Segundo Paulo Garcia, a partir de agora a Prefeitura poderá concluir o edital de licitação e levá-lo a leilão, para que a empresa vencedora inicie as obras. Ele acredita que as próximas etapas serão concluídas rapidamente. "Estamos trabalhando para isso", disse. Em agosto de 2011, Marconi declarou que as conversas com o governo federal nesse sentido haviam começado e que o governo tinha mostrado interesse em garantir recursos para as obras por meio do PAC da Mobilidade Urbana. À época, Marconi afirmou que o governo do Estado pleiteava R$ 430 milhões do PAC, mas a metade seria revertida à Prefeitura de Goiânia para as obras do BRT.

O BRT consiste na implantação de faixas exclusivas para o transporte coletivo por ônibus e a substituição da frota atual por veículos de maior capacidade. O governo garante que o sistema otimizará a operação nos corredores. O governador disse que havia solicitado à Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) que tratasse a questão do sistema de transporte BRT em Goiânia com prioridade, devido à complexidade e à importância do assunto. "Criamos uma equipe para realizar os estudos e conceder a licença devida. Não vamos atrasar obras de interesse social, vamos priorizar os estudos para estes projetos que atendam à população", explicou Leonardo Vilela.

"Quase uma cortesia do governador, que entende a importância da agilidade com que essa obra precisa ser tratada", afirmou Paulo Garcia. Durante a reunião foi discutido ainda projeto de um viaduto para a confluência da Rua 88 com a Marginal Botafogo, no Setor Sul. O governador informou ao prefeito Paulo Garcia que, com recursos do BNDES, o Estado dispõe-se a colaborar com a Prefeitura, que entrará com uma contrapartida de metade do valor total da obra, para a construção do viaduto. Paulo Garcia assegurou que o projeto final da obra deverá ser concluído em 30 dias.

Comissão sobre Saneago já foi formada

O prefeito afirmou ontem que já tem todos os nomes definidos para a comissão criada pela Prefeitura para estudar a possibilidade de municipalização dos serviços de água e esgoto, mas disse que deve levar alguns dias para divulgá-los e anunciar oficialmente a criação do grupo. Auxiliares da Prefeitura haviam informado que membros da Saneago, Ministério Público do Estado (MPE) e da Universidade Federal de Goiás (UFG) participariam dos estudos. "Os nomes já estão definidos, só não tive tempo de me reunir com a equipe para iniciar os trabalhos", disse o prefeito. Ele afirmou que não tratou do assunto com Marconi durante a reunião.

O prefeito garantiu que não há nenhuma espécie de divergência entre os interesses do Estado e da Prefeitura em relação aos assuntos referentes à capital e que sua relação com o governador continuará institucional e muito produtiva. Não há porque não ser dessa forma. Nós sabemos da delegação que recebemos daqueles que nos levaram a esses postos e temos como o brigação ter uma relação madura, tranquila. Não há motivo para ser diferente", declarou.

Informações: Hoje em Dia