sexta-feira, 24 de maio de 2013

Anápolis: Corredores para ônibus têm verba de R$ 73 milhões

24/05/2013 - Jornal Contexto

Recursos conseguidos junto ao Governo Federal, com a contrapartida do Município, estão assegurados para a implantação dos corredores exclusivos e prioritários para o transporte coletivo em Anápolis. De início, serão seis avenidas, todas elas, de grande fluxo no tráfego e que ao seu tempo, permitirão melhor qualidade no transporte de massas, uma necessidade urgente do Município, tendo em vista o acelerado crescimento econômico, com o aumento da população economicamente ativa e, com isso, o acúmulo de veículos nas principais vias de acesso ligando os bairros mais populosos à região central da Cidade.

De acordo com a Diretora de Transportes da CMTT, Fernanda Mendonça, são, a princípio, R$ 73 milhões liberados para o começo das obras. As avenidas São Francisco; JK; Pedro Ludovico; Universitária, Brasil e Fernando Costa/Kennedy, foram escolhidas para esta primeira etapa do projeto, tendo em vista receberem o maior fluxo de veículos diariamente na Cidade. Para a Diretora, é um trabalho de médio e longo prazos, mas os primeiros resultados já serão observados em breve, notadamente na Avenida Brasil Sul. A ideia é prolongar-se o corredor prioritário do transporte coletivo já existente ali, até à conexão com o Distrito Agro Industrial de Anápolis. A parte Norte da Avenida vai ser, também, urbanizada de forma a receber o corredor exclusivo, só que, com uma diferença. Este corredor será na faixa central da pista, um projeto bem moderno e que deixará aquela região de Anápolis com um sistema otimizado de transporte de massas.

Projeto global

A implantação do sistema de corredores para o transporte coletivo em Anápolis permitirá, ainda, a abertura de ciclovias e, de pistas para pedestres em diferentes trechos. Todo o sistema, entretanto, será ancorado pela Avenida Brasil, considerada o principal eixo econômico de Anápolis, pois, além de cortar a Cidade de ponta a ponta, ela tem às suas margens milhares de estabelecimentos comerciais, industriais e prestacionais de serviços, além dos poderes constituídos (Prefeitura, Câmara Municipal e Fórum Municipal), motivos suficientes para colocá-la como a via pública mais importante da Cidade. Com um sistema funcional de trânsito, a Avenida Brasil pode ser a redistribuidora natural do tráfego em toda a região central de Anápolis.

No entendimento da CMTT, com o sistema funcionando a contento, Anápolis entrará para a relação das cidades politicamente corretas no que diz respeito à mobilidade urbana, pois um transporte coletivo rápido e eficiente permite, dentre outras coisas, a diminuição de veículos particulares transitando nas regiões mais afetadas. Em resumo, muita gente vai optar por ir ao trabalho, ou, à escola, utilizando o transporte coletivo.

Ainda, de acordo com a Diretora de Transporte da CMTT, neste primeiro momento, vai ser possível implantar o sistema sem a necessidade da desapropriação de imóveis particulares. O que ocorrerá, dentro da normalidade, é a eventual reintegração de posse de áreas públicas, ocupadas por terceiros. Mesmo assim, são casos esporádicos e que não causarão maiores constrangimentos.

Fonte: Jornal Contexto