terça-feira, 21 de agosto de 2012

Licitação do BRT Eixo Norte-Sul será lançada entre 30 e 60 dias, diz Paulo Garcia 20/08/2012 - Tribuna do Planalto Um dos grandes problemas da Capital é relacionado às questões de trânsito e transporte coletivo. Que projetos o sr. tem para a próxima gestão no sentido de reduzir este problema? Mobilidade urbana é um grande problema que toda a grande cidade brasileira e mundial. Isso não é uma exclusividade nossa. Goiânia fará 79 anos no próximo mês de outubro, eu estou administrando a cidade há somente dois anos e cindo meses. Dou um exemplo palpável: se nos dirigirmos ao centro de Goiânia, que é tombado pelo patrimônio histórico, as avenidas Araguaia e Tocantins foram construídas no final da década de 30. Elas têm a mesma largura desde aquela época e teríamos muita dificuldade em aumentá-las. Naquela época, devíamos ter em Goiânia dez carros, hoje temos mais de um milhão de veículos. Milhares de carros transitam pelas duas avenidas diariamente. O poder público, naturalmente, como gestor tem que atuar apresentando alternativas e como fator indutor. Algumas delas nós já fizemos e outras planejamos fazer. Uma delas é o chamado Corredor Universitário, que está inserido no Plano Diretor. Houve questionamentos neste sentido. Adversários do sr. alegaram que a prefeitura teria realizado, dos corredores possíveis, o único que não está previsto pelo Plano Diretor. É candidato que não conhece a cidade de Goiânia, não conhece a legislação e não mostra preparo para administrar a cidade. O Corredor Universitário está previsto no Plano Diretor no seu Artigo 29, no Anexo 22, no seu Artigo 12. Ele faz parte do chamado Corredor T-9 e, dentre as avenidas que compõem este corredor, que é um corredor viário regional, está a Avenida Universitária. Nós o fizemos porque ele liga dois polos de concentração e dispersão de usuários do transporte coletivo. A finalidade mais importante dos corredores é o atendimento e atenção ao transporte de massa. Naquela região, entre a Praça Cívica e a Praça da Bíblia, passam mais de 20 linhas. Foi por isso que ela foi escolhida, por motivos técnicos, não foi o prefeito que escolheu isoladamente. Além disso, já recebi o projeto de extensão daquele corredor pela Avenida T-7 até o Terminal Bandeiras, então, vamos dar prolongamento aos 102 quilômetros previstos de corredores exclusivos. Outro projeto é o do BRT, Veículo Rápido sobre Rodas, que cruza a cidade de Norte a Sul em toda a sua extensão. Este projeto, inicialmente, estava previsto para ser licitado em maio. Ocorreu um atraso neste processo? Como é uma licitação internacional, é um financiamento externo que precisa de aprovações legais das casas parlamentares e envolve recursos da união, há toda uma tramitação burocrática que às vezes foge do nosso controle. Mas estamos em um momento oportuno de apresentar este edital de licitação à praça. Acredito que isto ocorrerá nos próximos 30, no mais tardar, 60 dias. Uma obra prevista para ser concluída do Terminal Cruzeiro do Sul até o Recanto do Bosque em aproximadamente 15 meses. Um de seus adversários, Jovair Arantes, nesta questão de mobilidade urbana, tem falado repetidas vezes que a cidade está “infartada, entupida”. É isso mesmo? Eu percebo um rancor muito forte em alguns dos meus adversários. Quase que um ódio introjetado no coração. Não sei se essa é uma característica própria deles ou se eles vivem algum momento de dificuldade, de superação de obstáculos. Eu sou uma pessoa feliz, sou uma pessoa que se considera abençoada por Deus. Eu tenho a honra de administrar a cidade onde eu nasci. Afirmam que Goiânia não é a capital brasileira com maior qualidade de vida, eu acho que isso é quase um tapa no rosto de cada homem e cada mulher deste município, que construíram com muito esforço a beleza da nossa cidade. É lógico que ela tem problemas. Toda a região que se desenvolve rapidamente e é metrópole regional tem uma vida dinâmica e precisa superar obstáculos diariamente. Não há obra pronta e acabada quando se pensa em espaço urbano. Mas eu não penso como meus adversários. Acho que podemos afirmar a todos, e isso é motivo de orgulho de todos e todas goianienses, que vivemos na capital brasileira com melhor qualidade de vida. Eu não sei porque eles são tão rancorosos, porque carregam tanto ódio no coração. Em 2008, a chapa de Iris e do sr. fez compromisso de construir alguns viadutos, na Avenida Perimetral e na Marginal Botafogo com a Avenida A, que vai para o Serra Dourada. Como estão estes projetos? Nosso orçamento é limitado e nós precisamos fazer escolhas em áreas fundamentais e que sejam emergenciais. Um dos viadutos que nós estamos licitando agora é aquele viaduto que vai ligar o Jardim Goiás ao Novo Mundo, porque é fundamental que haja uma ligação entre a região central da cidade e a região leste. É um dos gargalos de mobilidade na nossa cidade. Eu fui o primeiro prefeito a mexer no ramo leste da Avenida Leste-Oeste. Existe outra obra, que deverá ser uma das primeiras a serem realizadas, que é ali no cruzamento entre a Avenida Goiás Norte e a Avenida Perimetral. Ali passa o BRT (Corredor de ônibus Norte-Sul) e tem um grande fluxo de carros. Agora vai ter ali um novo shopping. Mas para esta obra, nós precisamos de uma liberação do Dnit, porque a Perimetral, segundo a legislação, é considerada BR-060. Ali na região do Serra Dourada, entre a Avenida A e a Avenida E, nós temos a previsão de dois viadutos e uma passagem de nível. O projeto já está pronto, o edital está sendo confeccionado e deverá ser apresentado em breve. É uma das nossas necessidades para que nós retiremos toda a sinalização semafórica na Marginal Botafogo.

20/08/2012 - Tribuna do Planalto

Um dos grandes problemas da Capital é relacionado às questões de trânsito e transporte coletivo. Que projetos o sr. tem para a próxima gestão no sentido de reduzir este problema?

Mobilidade urbana é um grande problema que toda a grande cidade brasileira e mundial. Isso não é uma exclusividade nossa. Goiânia fará 79 anos no próximo mês de outubro, eu estou administrando a cidade há somente dois anos e cindo meses. Dou um exemplo palpável: se nos dirigirmos ao centro de Goiânia, que é tombado pelo patrimônio histórico, as avenidas Araguaia e Tocantins foram construídas no final da década de 30. Elas têm a mesma largura desde aquela época e teríamos muita dificuldade em aumentá-las. Naquela época, devíamos ter em Goiânia dez carros, hoje temos mais de um milhão de veículos. Milhares de carros transitam pelas duas avenidas diariamente. O poder público, naturalmente, como gestor tem que atuar apresentando alternativas e como fator indutor. Algumas delas nós já fizemos e outras planejamos fazer. Uma delas é o chamado Corredor Universitário, que está inserido no Plano Diretor.

Houve questionamentos neste sentido. Adversários do sr. alegaram que a prefeitura teria realizado, dos corredores possíveis, o único que não está previsto pelo Plano Diretor.

É candidato que não conhece a cidade de Goiânia, não conhece a legislação e não mostra preparo para administrar a cidade. O Corredor Universitário está previsto no Plano Diretor no seu Artigo 29, no Anexo 22, no seu Artigo 12. Ele faz parte do chamado Corredor T-9 e, dentre as avenidas que compõem este corredor, que é um corredor viário regional, está a Avenida Universitária. Nós o fizemos porque ele liga dois polos de concentração e dispersão de usuários do transporte coletivo. A finalidade mais importante dos corredores é o atendimento e atenção ao transporte de massa. Naquela região, entre a Praça Cívica e a Praça da Bíblia, passam mais de 20 linhas. Foi por isso que ela foi escolhida, por motivos técnicos, não foi o prefeito que escolheu isoladamente. Além disso, já recebi o projeto de extensão daquele corredor pela Avenida T-7 até o Terminal Bandeiras, então, vamos dar prolongamento aos 102 quilômetros previstos de corredores exclusivos. Outro projeto é o do BRT, Veículo Rápido sobre Rodas, que cruza a cidade de Norte a Sul em toda a sua extensão.

Este projeto, inicialmente, estava previsto para ser licitado em maio. Ocorreu um atraso neste processo?

Como é uma licitação internacional, é um financiamento externo que precisa de aprovações legais das casas parlamentares e envolve recursos da união, há toda uma tramitação burocrática que às vezes foge do nosso controle. Mas estamos em um momento oportuno de apresentar este edital de licitação à praça. Acredito que isto ocorrerá nos próximos 30, no mais tardar, 60 dias. Uma obra prevista para ser concluída do Terminal Cruzeiro do Sul até o Recanto do Bosque em aproximadamente 15 meses.

Um de seus adversários, Jovair Arantes, nesta questão de mobilidade urbana, tem falado repetidas vezes que a cidade está “infartada, entupida”. É isso mesmo?

Eu percebo um rancor muito forte em alguns dos meus adversários. Quase que um ódio introjetado no coração. Não sei se essa é uma característica própria deles ou se eles vivem algum momento de dificuldade, de superação de obstáculos. Eu sou uma pessoa feliz, sou uma pessoa que se considera abençoada por Deus. Eu tenho a honra de administrar a cidade onde eu nasci. Afirmam que Goiânia não é a capital brasileira com maior qualidade de vida, eu acho que isso é quase um tapa no rosto de cada homem e cada mulher deste município, que construíram com muito esforço a beleza da nossa cidade. É lógico que ela tem problemas. Toda a região que se desenvolve rapidamente e é metrópole regional tem uma vida dinâmica e precisa superar obstáculos diariamente. Não há obra pronta e acabada quando se pensa em espaço urbano. Mas eu não penso como meus adversários. Acho que podemos afirmar a todos, e isso é motivo de orgulho de todos e todas goianienses, que vivemos na capital brasileira com melhor qualidade de vida. Eu não sei porque eles são tão rancorosos, porque carregam tanto ódio no coração.

Em 2008, a chapa de Iris e do sr. fez compromisso de construir alguns viadutos, na Avenida Perimetral e na Marginal Botafogo com a Avenida A, que vai para o Serra Dourada. Como estão estes projetos?

Nosso orçamento é limitado e nós precisamos fazer escolhas em áreas fundamentais e que sejam emergenciais. Um dos viadutos que nós estamos licitando agora é aquele viaduto que vai ligar o Jardim Goiás ao Novo Mundo, porque é fundamental que haja uma ligação entre a região central da cidade e a região leste. É um dos gargalos de mobilidade na nossa cidade. Eu fui o primeiro prefeito a mexer no ramo leste da Avenida Leste-Oeste. Existe outra obra, que deverá ser uma das primeiras a serem realizadas, que é ali no cruzamento entre a Avenida Goiás Norte e a Avenida Perimetral. Ali passa o BRT (Corredor de ônibus Norte-Sul) e tem um grande fluxo de carros. Agora vai ter ali um novo shopping. Mas para esta obra, nós precisamos de uma liberação do Dnit, porque a Perimetral, segundo a legislação, é considerada BR-060. Ali na região do Serra Dourada, entre a Avenida A e a Avenida E, nós temos a previsão de dois viadutos e uma passagem de nível. O projeto já está pronto, o edital está sendo confeccionado e deverá ser apresentado em breve. É uma das nossas necessidades para que nós retiremos toda a sinalização semafórica na Marginal Botafogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário