sábado, 18 de dezembro de 2010

CMTT defende corredores de transporte coletivo

01/07/2010 - Contexto

 A julgar pela avaliação de Edson Peres, Anápolis não vai tomar a contramão da modernidade urbanística

“O transporte coletivo deve ser privilegiado com a criação de corredores”, observa Edson Peres Dourado do alto do cargo de diretor geral da CMTT-Companhia Municipal de Trânsito e Transportes, ao observar que os 170 ônibus urbanos, em Anápolis, substituem milhares de automóveis nas ruas, especialmente no centro. Ao defender prioridade para o ônibus ele diz que não concorda que os ônibus atrapalham o trânsito. Na verdade, coletivo transporta 45 a 60 pessoas ou mais e substituem 10 veículos ou mais nas ruas (pesquisa da NTU estima em 50).

UMA TENDÊNCIA MUNDIAL

A priorização do transporte coletivo começou em Curitiba, com a criação de corredores, há mais de 20 anos, e evoluiu para a chamada BRT, projeto consagrado em Bogotá. Hoje, as maiores cidades do planeta adotam sistemas expressos de ônibus, uma solução que melhorou o trânsito no centro de São Paulo, e é sucesso em Londres, Pequim, Nova Deli e Paris. Avaliando-se a tese de Peres, Anápolis não vai tomar a contramão da modernidade e dos avanços nas mudanças do trânsito no Primeiro Mundo:“estamos fazendo muitos investimentos para melhorar o trânsito, mas a solução definitiva, a longo prazo, passará pela criação de corredores do transporte coletivo”.

NOVO MODELO DE TRÂNSITO

Sobre a implantação de mais corredores - Anápolis conta hoje com duas linhas preferenciais de ônibus, a da Avenida Brasil Sul e a da Rua João Buta, na entrada do Terminal Norte – Peres Dourado define que ”vamos enfrentar o desafio do corredor Leste-Oeste na Avenida Goiás e Rua Barão do Rio Branco (o projeto prevê a inclusão da Avenida Mato Grosso), uma necessidade a ser contemplada no novo modelo do transporte coletivo de Anápolis”. 

ANTES E DEPOIS DO CORREDOR

Os congestionamentos na Rua João Buta, entrada norte do Terminal Urbano, foram eliminados pela Linha Preferencial do Transporte Coletivo.

CORREDOR DA AV. BRASIL SUL

A Faixa Exclusiva de Ônibus na Avenida Brasil Sul, o primeiro corredor viário estrutural de Anápolis, apresenta sensível melhoria do trânsito e da qualidade de vida dos usuários do transporte coletivo urbano: o estacionamento é proibido e existe a possibilidade de compartilhamento do tráfego entre o transporte particular e o coletivo, exclusivamente para o acesso de saída e entrada às vias auxiliares. Nos cruzamentos, a prioridade de passagem é do transporte coletivo, permitindo-se que os ônibus reduzam a necessidade de efetuar manobras complexas de parada para embarque e desembarque, que passam a ser feitas no mesmo alinhamento. Essa iniciativa, que futuramente será estendida a outras vias essenciais da cidade, tem como objetivo aumentar a atratividade do transporte público e a velocidade média dos ônibus, reduzindo os tempos de embarque, desembarque e percurso. O corredor permite que uma mesma frota possa fazer mais viagens diárias. Os ônibus passam a enfrentar menor obstacularização por tráfego lento e não necessitam fazer manobras evasivas para desviar de outros veículos.

ANÁPOLIS EXPORTA CORREDOR PARA O DF

O desempenho operacional das linhas do Daia - Distrito Agroindustrial de Anápolis - trouxe benefícios ao conjunto do sistema de transporte coletivo da cidade, diminuindo o tempo das viagens num corredor de grande extensão e que concentra acentuado volume de passageiros. Faixas exclusivas para os ônibus não representam diminuição de espaço para os demais veículos. Corredor viário estrutural com faixas preferenciais de transporte coletivo é logística de Primeiro Mundo e solução técnica que beneficia não apenas o sistema de transporte coletivo mas o trânsito das cidades como um todo.

O Governo do Distrito Federal, através da TCB, quer importar o modelo de Faixa Exclusiva de Ônibus na Avenida Brasil Sul. A revelação está na carta do Presidente da TCB – Transporte Coletivo de Brasília, Jorge Koichi Saiki: “avaliamos que foi de muita importância para a TCB a visita à TCA para iniciarmos o processo de implantação de Faixa Preferencial de Ônibus em Brasília. 

Para o Diretor da TCA, Sr. Lacy Martins da Silva, exportar tecnologia é motivo de orgulho para Anápolis e para o Estado de Goiás, ao mesmo em que gratifica e incentiva a empresa a implantar novos projetos e disponibilizar aos seus clientes atendimento cada vez melhor. “Nossa preocupação, todavia, vai além da garantia da qualidade e da valorização de nossa equipe”, finalizou o empresário, ao ressaltar que a empresa investe na formação das futuras gerações, no social e na preservação do meio ambiente. 

Autor: Manoel Vanderick

Nenhum comentário:

Postar um comentário